Logo RTM

Compartilhe

Web 3.0: o que é e qual sua influência no mercado financeiro?
PorRTM
Executivo lê em tablet artigo sobre a influência da Web 3.0 no mercado financeiro.

A Web 3.0 vai acentuar mudanças profundas no mercado, com diferentes possibilidades de interação via internet. 

E instituições financeiras precisam estar de olho nisso: estamos falando de uma  evolução da internet que promete transformar a maneira como as pessoas interagem, trocam informações e realizam transações online. 

Ela se baseia em tecnologias descentralizadas, como blockchain, contratos inteligentes e moedas digitais, e apresenta um conjunto de recursos e capacidades que podem afetar significativamente o setor.

E os números comprovam sua força:

O tamanho do mercado global da Web 3.0 em 2022 foi de US$ 2,2 bilhões e deve chegar a US$ 81,9 bilhões até 2032, crescendo a uma taxa anual de crescimento de 44,5%, segundo dados da Globe Newswire.

Mas o que tudo isso quer dizer e o que podemos esperar a médio e longo prazo? É o que vamos entender a seguir.

O que é a Web 3.0?

A Web 3.0, Web3, internet do futuro ou ainda a web semântica, é uma plataforma de internet que está em construção e que tem como objetivo descentralizar as redes e as informações disponíveis nelas. 

Para isso, ela promete manter uma rede aberta de dados, liberar protocolos e, ainda, fornecer aos usuários total controle sobre suas informações pessoais. 

Ou seja: o que antes era armazenado por um único servidor em endereços fixos, passará a ficar sob o resguardo de redes construídas coletivamente. 

Para operacionalizar tudo isso, são combinados recursos tecnológicos como:

A ideia é justamente reduzir ao máximo (ou mesmo eliminar) a intermediação entre usuários. São avanços tecnológicos capazes de revolucionar modelos de negócios da era Web 2.0, trazendo novos desafios para lideranças empresariais e governamentais. 

Finalmente, ela pretende erradicar monopólios de informação, cenário comum hoje com a coleta e armazenamento de dados por parte das grandes companhias de tecnologia (big techs). 

Resumindo, então, suas principais características e possibilidades são:

  • Criar melhores relações de confiança entre pessoas, sem o intermédio de uma corporação ou outra autoridade;
  • Distribuir a governança aos detentores de tokens e a organizações autônomas e descentralizadas.
  • Garantir a integridade das transações por validações executadas pela própria rede blockchain.

Você está pronto para o presente e o futuro dos meios de pagamentos? Leia sobre e descubra!

Como a internet do futuro impacta o mercado financeiro? 

A internet do futuro, representada pela Web 3.0, tem um impacto significativo no mercado financeiro. Uma das principais características da Web 3.0 que o influenciam é a descentralização.

A descentralização é possibilitada principalmente pelo uso da tecnologia blockchain, que é a base da Web 3.0. 

O blockchain permite a criação de registros distribuídos e imutáveis, onde as transações financeiras podem ser registradas de forma transparente e segura, eliminando a necessidade de intermediários centralizados. Isso pode reduzir custos, trazer eficiência e mais confiança nas transações financeiras.

Já em relação à segurança e privacidade, a Web 3.0 traz outros avanços significativos. Com o uso de criptografia e identidades digitais descentralizadas, os usuários têm mais controle sobre seus dados pessoais e financeiros. 

A tokenização de ativos, por sua vez, é outro aspecto importante da Web 3.0 que está impactando o mercado financeiro. 

Ela permite a representação de ativos físicos ou digitais como tokens no blockchain. Isso significa que praticamente qualquer coisa de valor pode ser transformada em um token e negociada de forma mais rápida e eficiente. 

O crescimento das finanças descentralizadas, ou DeFi, também merece destaque. Ela refere-se a sistemas financeiros construídos no blockchain, que permitem transações e interações financeiras sem a necessidade de intermediários tradicionais. 

Esses sistemas são baseados em contratos inteligentes, que são programas auto executáveis que implementam regras e condições de transações. 

Ainda, através de mecanismos de governança baseados em tokens, os participantes de um ecossistema podem tomar decisões coletivas sobre o desenvolvimento e o funcionamento dos protocolos financeiros.

Quais mudanças a Web 3.0 pode trazer para o setor financeiro?

A Web 3.0 tem o potencial de trazer várias mudanças significativas para o setor financeiro, gerando transformações em diferentes áreas. 

Algumas das principais mudanças são os ecossistemas globais, as diferentes modalidades de renda e os meios de pagamento.

Ecossistemas globais

Um mundo mais disponível digitalmente fica, também, mais próximo. Saber usar isso a favor e replicar tecnologias com linhas de código aberto favorece parcerias e expansões. 

As instituições financeiras que demonstrarem adaptabilidade com propostas inovadoras poderão impulsionar o crescimento mais facilmente em um sistema financeiro democratizado. 

Com isso, terão mais força e criatividade para buscarem reinvenções e continuarem ativas em um novo modelo. 

Diferentes modalidades de renda

A tokenização de ativos se torna uma realidade enquanto uma nova modalidade de renda. 

Isso significa que uma ampla gama de ativos, como imóveis, obras de arte, títulos e até mesmo renda futura, podem ser representados como tokens na blockchain. 

Essa tokenização permite que esses ativos sejam fracionados e negociados de forma mais rápida e eficiente. 

Por exemplo, é possível ter uma fração de propriedade de um imóvel ou uma participação em um rendimento futuro. Isso abre oportunidades para investimentos mais acessíveis, maior liquidez e diversificação de portfólio.

Meios de pagamento

A Web 3.0 traz consigo a ascensão das criptomoedas e dos sistemas de pagamento descentralizados. É possível realizar transações financeiras diretas e seguras sem a necessidade de intermediários. 

As criptomoedas, como o Bitcoin e o Ethereum, permitem transações rápidas e globais, eliminando fronteiras e reduzindo taxas. 

Além disso, a adoção de carteiras digitais descentralizadas e aplicativos de pagamento facilita a realização de transações em qualquer lugar, a qualquer momento, com maior conveniência.

E para entender mais sobre meios de pagamento e como eles chegaram até a forma que funcionam hoje, aproveite para ler nosso material sobre a evolução deles!

Newsletter

Cadastre-se e receba todos os nossos conteúdos por e-mail, em primeira-mão.


    Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

    Veja outras notícias relacionadas

    A imagem mostra uma foto do gerente de Segurança da Informação da RTM, Renan Barcelos, sorrindo. Ele veste um terno cinza escuro. No canto inferior direito, há um grafismo em vermelho com a pergunta "Fraudes bancárias: como proteger sistemas e clientes?".
    Fraudes bancárias: como proteger sistemas e clientes?
    Imagem de homem pensativo a frente de um laptop dentro do grafismo da RTM com a pegunta escrita ao lado: "O que são contêineres em uma cloud?"
    Como colocar soluções em contêineres em uma cloud?
    Imagem ilustrativa com Renan Barcelos, gerente de Segurança da Informação da RTM para ilustrar matéria sobre sua participação em um Painel de evento sobre Cibersegurança
    Barcelos integra painel sobre segurança