Logo RTM

Compartilhe

Smart contracts: aplicações, relação com o Drex e como implementar
PorRTM
A imagem mostra duas mãos segurando um smartphone e símbolos que representam verificação e segurança. Ao lado, está escrito em vermelho: Smart contracts.

Os smart contracts, ou contratos inteligentes, são programas de computador autoexecutáveis, armazenados em uma blockchain, que automatizam e executam contratos de forma transparente e imutável. 

Eles operam sob condições predefinidas e não necessitam de intermediários para validar ou aplicar as cláusulas contratuais.

Diante do contexto do Drex, isso é, o Digital Real X, então, fica a dúvida: como eles vão se relacionar? E qual será o ganho de aproveitar os contratos inteligentes?

Se você quer entender mais sobre essa conexão entre os temas, continue lendo nosso texto!

Para se familiarizar mais com o assunto, convidamos também você a entender o que é Drex e o que isso representa nas operações!

Como o Drex deve impulsionar os smart contracts no Brasil?

Os smart contracts funcionam sob condições predefinidas, garantindo transparência, imutabilidade e segurança nas transações.

Eles são escritos em linguagem de programação e possuem mecanismos que permitem a auto-execução de cláusula. Por isso, funcionam com base em instruções lógicas como “se/quando, então”. 

Quando uma condição pré-determinada acontece, a rede de computadores executa as ações previstas. Uma vez redigidos, eles não podem ser alterados ou fraudados,

Por outro lado, o Drex é a nova representação do real em uma plataforma digital. Ele permitirá que vários tipos de transações financeiras seguras com ativos digitais e contratos inteligentes estejam à disposição. 

Esses serviços financeiros avançados serão realizados dentro da Plataforma Drex do Banco Central (BC), um ambiente em desenvolvimento que utiliza a tecnologia de registro distribuído.

Em resumo, o Drex utiliza os contratos inteligentes, reduzindo a burocracia em processos como a compra e venda de imóveis, veículos e diversos serviços.

Isso tem o potencial de impulsionar o uso de contratos inteligentes no Brasil, uma vez que o Real Digital proporcionará um acesso seguro e inclusivo aos benefícios da economia digital para cidadãos e empreendedores.

Os contratos inteligentes podem ser aplicados em diversos setores onde os contratos convencionais são utilizados. Alguns exemplos incluem:

  • Finanças Descentralizadas (DeFi): são fundamentais para a revolução financeira descentralizada, possibilitando serviços como empréstimos, trocas, staking e até mesmo criação de tokens em plataformas DeFi;
  • Propriedade intelectual: podem ser usados para gerenciar direitos autorais e distribuição de conteúdo digital;
  • Setor imobiliário: podem ser usados para automatizar o processo de venda de imóveis, tornando as transações mais seguras e eficientes;
  • Contratos de seguro: também tem a possibilidade dos contratos serem usados para automatizar o processo de reivindicações de seguro, tornando o processo mais transparente e eficiente.

Que tal entender mais sobre tecnologia, Pix e outros meios de pagamentos? Acesse nosso panorama do mercado financeiro e perspectivas para o futuro do setor de pagamentos!

Quais são os benefícios de usar contratos inteligentes? 

Os contratos inteligentes oferecem vários benefícios significativos que, inclusive, vão além do Drex. Entre eles, podemos destacar a rapidez, segurança, comodidade, controle, integração e transparência.

Velocidade

Os contratos inteligentes são conhecidos por sua rapidez, pois são programados levando em consideração uma variedade de fatores, incluindo regras financeiras e tributárias que afetam a transação em questão.

Segurança

Os acordos estabelecidos por meio de contratos inteligentes são altamente seguros. Eles são fundamentados em regras pré-definidas e condições verificáveis, as quais determinam as ações a serem executadas pelas partes envolvidas.

Comodidade

Os contratos inteligentes eliminam a necessidade de intermediários ou autoridades centrais. O resultado é um processo mais conveniente.

Controle

Com os contratos inteligentes, as partes têm um controle maior sobre o acordo, pois as exigências são ativadas automaticamente, facilitando a cobrança e o acompanhamento dos processos.

Integração

Os contratos inteligentes podem ser integrados com outros sistemas digitais, aumentando a eficiência e a competitividade das organizações.

Transparência

Finalmente, esses contratos aumentam a transparência e a confiança entre as partes. 

E isso se dá justamente porque todas as transações são registradas em uma blockchain e podem ser verificadas por todas as partes envolvidas.

Como implementar smart contracts na sua operação?

A implementação de smart contracts envolve várias etapas. Isso começa pela identificação das áreas adequadas — pois é preciso determinar quais processos do seu negócio podem se beneficiar com o uso de contratos inteligentes.

Depois, ainda na implementação, é preciso especificar os termos e condições do contrato inteligente, como prazos, pagamentos e penalidades.

Vale dizer que definir a linguagem de programação apropriada para desenvolver o código do contrato inteligente fará diferença — a linguagem mais comum usada para criar um programa de execução das cláusulas é chamada Solidity3.

Ainda nesse processo, você deve ter a liberdade para exercitar modelos de negócios com smart contracts e testar diferentes funcionalidades.

Pensando nisso, a RTM oferece o Sandbox Drex, uma solução para instituições financeiras testarem transações com o Real Digital em um ambiente similar ao do Banco Central, além de outras operações financeiras que possam se relacionar com o seu negócio, utilizando smart contracts. Tudo em ambiente isolado e neutro.

Na prática, com uma sandbox, arquivos, anexos, URLs e programas são executados com o objetivo de verificar se eles são maliciosos ou não.

A sandbox é uma área segura para testar anexos, arquivos, URLs e programas antes que eles sejam entregues para o usuário final.

Você pode exercitar modelos de negócios com smart contracts e testar diferentes funcionalidades do Drex.

E assim, as instituições podem se preparar para o momento em que a moeda digital entrar em operação. Aproveite para conhecer melhor essa solução da RTM!

Deixe seu comentário

Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

Newsletter

Cadastre-se e receba todos os nossos conteúdos por e-mail, em primeira-mão.


    Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

    Veja outras notícias relacionadas

    Imagem de uma mão robótica com a palma virada para cima. Abaixo está escrito "E-book Inteligência artificial e segurança no mercado financeiro: desafios, conformidade e soluções para evitar fraudes e crimes cibernéticos".
    Inteligência artificial e segurança no mercado financeiro
    Imagem em vermelho escuro com a foto de um homem branco, de terno, sorrindo. Ao lado, tem um balão de fala com a afirmação "“Queremos os melhores em serviços de tecnologia para pagamentos, por isso escolhemos a RTM”. Henrique Costa, CTO, e o logo da Pay4Fun.
    Pay4Fun: RTM tem infraestrutura robusta e conhecimento de mercado
    Imagem ilustrativa de um artigo da RTM. Com fundo vermelho e a seguinte pergunta em destaque: O que é sandbox regulatório e como será o novo ambiente de testes da CVM?
    Novo sandbox regulatório: o que muda e como funciona?