Logo RTM

Compartilhe

O que é a ISO 20022? Saiba a importância e oportunidades para o mercado financeiro
PorRTM
Imagem ilustrativa de artigo sobre a ISO 20022.

O comitê técnico ISO responsável pelas áreas de serviços bancários e financeiros criou uma linguagem comum para dados de pagamentos: o padrão ISO 20022.

Esse sistema consiste em uma resposta ao que vivenciamos agora. Afinal, as novas práticas comerciais estão frequentemente pautadas na digitalização e na nuvem. 

Por isso, esse padrão vem como uma forma de atender às necessidades de troca de informações no mercado brasileiro.

Mas o que é a ISO 20022? O que ela muda na prática? Quais são os benefícios e as oportunidades na migração? E como as instituições financeiras podem melhorar com esse processo? Nos próximos tópicos, iremos falar sobre isso!

O que é a ISO 20022?

Para entender o que é ISO 20022, precisamos entender o que o termo significa: International Organization for Standardization ou, em português, Organização Internacional para Padronização.

A partir disso, a ISO 2022, elaborada pelo Comitê Técnico ISO/TC68, pode ser compreendida como um sistema de padrões de mensagens para a indústria financeira.

O objetivo dessa metodologia é justamente criar padrões de comunicação tão eficientes e transparentes entre diferentes mercados e sistemas que sejam capazes de evitar ambiguidades e interpretações erradas.

Com isso, os mais distintos mercados, processos e operações no cenário global vão ter a mesma linha de interpretação.  Ou seja, a ideia é atender a todos os mercados, independentemente do que for particular, garantindo participação e representatividade de diferentes mercados.

Assim, é possível que qualquer infraestrutura, rede de comunicação ou sistema de registro possa usar essa referência.

Para tanto, é necessário o registro de documentação detalhada e padronizada: seja de processos, etapas, regras de negócio, participantes e papéis desempenhados nos fluxos de troca de informações.

O Banco Central (BACEN), elaborou o documento Estudo de utilização do Padrão ISO 20022 para Transferência de Fundos no âmbito do SPB, em 2017, que explica os principais domínios do protocolo. Os padrões de mensagens ISO 20022 são:

  • Pagamentos;
  • Mercado de capitais;
  • Serviços para Comércio Internacional;
  • Cartões;
  • Câmbio.

Contexto atual da ISO 20022

De acordo com a Sociedade de Telecomunicações Financeiras Interbancárias Mundiais (SWIFT), mais de 70 países já usam o ISO 20022.

Todos os bancos que usam SWIFT — sistema que permite que as instituições enviem e recebam pagamentos por transferência eletrônica — precisavam adotar o ISO 20022 até novembro de 2022 para as transferências recebidas.

Já o prazo para as transferências enviadas é até 2025. É por isso que se espera que, nesse ano, então, todas as plataformas em tempo real, já façam uso do padrão ISO 20022.

Benefícios da adoção da ISO 20022

A adoção da ISO 20022 traz uma série de vantagens para o mercado financeiro. Entre elas, podemos destacar como principais:

  • Aumentar a automação;
  • Reduzir fraudes;
  • Fazer análises com maior qualidade.

A seguir, vamos explorar esses pontos!

Aumento da automação

A padronização da estrutura e coleta vai ajudar a simplificar o processamento de faturas e pagamentos. Como efeito, isso vai exigir menos intervenções manuais, ao mesmo tempo que vai entregar relatórios de pagamento mais rápidos.

Ou seja, o grande ganho aqui é automação, que se traduz de várias formas: isso envolve o faturamento automatizado de fornecedores e compradores até a reconciliação automática de AR e PR. O PIX, inclusive, teve sua estrutura feita com base nesse protocolo. 

Redução de fraudes

As fraudes também podem ser reduzidas com esse padrão no mercado financeiro. Os dados padronizados e de pagamento mais granulares são capazes de fornecer informações relevantes para que o modelo de detecção possa evoluir

Isso vai também contribuir para os relatórios de conformidade. Com novas informações de pagamento ISO, é possível melhorar a gestão de regras e a análise do problema relativo à segurança digital.

Análise com maior qualidade

Os insights também ganham nesse processo e as atividades de pagamentos podem trazer muitos dados valiosos. Por exemplo, dá para refinar perfis de clientes com nível de especificidade maior. 

Ou seja, no mercado de investimentos, a ISO 20022 pode ajudar nessa filtragem. Estamos falando de informações melhores estruturadas, mais ricas e bem detalhadas. Sendo assim, as análises se tornam mais competitivas, porém não deixam de preservar a privacidade.

Oportunidades para o mercado financeiro com a migração para a ISO 20022

A partir disso, juntamente com o open finance, por exemplo, o mercado financeiro encontra uma oportunidade com as padronizações durante a migração da ISO 20022.

Os clientes bancários passam a dar maior valor a todas as cadeias de pagamento e, ao mesmo tempo, as instituições devem pensar em estruturar os dados para atender da melhor maneira os seus seus clientes.

Mais transparência, automação e serviços apresentam um ganho positivo para ambos os lados.

ISO 20022 e criptomoedas

Entre as oportunidades para além do mercado de pagamentos e mercado de investimentos do ISO 20022 mais tradicionais, podemos destacar as criptomoedas

Os novos modelos de negócios passam a precisar acompanhar os novos recursos e, naturalmente, esse setor deve buscar a compatibilidade com ISO 20022, a partir da adoção do SWIFT.

Um exemplo prático disso é a Ripple, responsável pelo token XRP. A empresa anunciou que passou a ser  membro do corpo da ISO 20022 Standards Body.

Esta é a primeira empresa focada na tecnologia de criptoativos a fazer parte da organização, mas não deve ser o único exemplo em relação à ISO 20022 e criptomoedas. Outras instituições também devem seguir esse caminho.

Como as instituições financeiras podem lidar com a migração para a ISO 20022 de maneira mais assídua?

Para fazer a migração da ISO 20022 nos sistemas de pagamento, as instituições financeiras vão ter que escolher algumas abordagens.

Uma das opções para isso é por meio de um orquestrador de hub de pagamentos centralizado. Ele atua como um intermediário entre a rede SWIFT e os sistemas back-end da instituição financeira.

Mas diante da complexidade, as instituições financeiras precisam de apoio para se adaptar às novas mudanças e regras do mercado financeiro.  E o setor de Fundos de Investimentos pode sofrer com isso em alguns processos, em virtude das recentes mudanças na regulamentação de fundos de investimentos regulada pela CVM – Comissão de Valores Mobiliários.. 

Por isso, nossa solução de Hub Fundos usa a ISO 20022 e facilita a troca de informações entre gestores, custodiantes, administradores e distribuidores para dar mais transparência e eficiência às operações. 

Conheça mais sobre o Hub Fundos!

Deixe seu comentário

Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

Newsletter

Cadastre-se e receba todos os nossos conteúdos por e-mail, em primeira-mão.


    Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

    Veja outras notícias relacionadas

    A imagem mostra uma foto do gerente de Segurança da Informação da RTM, Renan Barcelos, sorrindo. Ele veste um terno cinza escuro. No canto inferior direito, há um grafismo em vermelho com a pergunta "Fraudes bancárias: como proteger sistemas e clientes?".
    Fraudes bancárias: como proteger sistemas e clientes?
    Imagem de homem pensativo a frente de um laptop dentro do grafismo da RTM com a pegunta escrita ao lado: "O que são contêineres em uma cloud?"
    Como colocar soluções em contêineres em uma cloud?
    Imagem ilustrativa com Renan Barcelos, gerente de Segurança da Informação da RTM para ilustrar matéria sobre sua participação em um Painel de evento sobre Cibersegurança
    Barcelos integra painel sobre segurança