Logo RTM

Compartilhe

Banco Luso Brasileiro reestrutura parque tecnológico com a RTM
PorRTM
simbolo logo banco luso brasileiro

Fazer uma reestruturação tecnológica em qualquer empresa, especialmente em uma instituição financeira, é sempre um grande desafio. É preciso mapear as necessidades, se atentar às exigências de segurança da informação e compliance e, principalmente, contar com uma equipe especializada capaz de orientar esta transição.

O Banco Luso Brasileiro (BLB) passou por isso em 2019. Com a notícia de que o prestador de serviço do seu data center estava saindo do país, a instituição precisou abrir concorrência para movimentar sua infraestrutura para outra empresa. Mas não seria uma simples troca de fornecedor: o banco estava passando por um processo de reestruturação tecnológica, definindo novas demandas e desenhando o cenário ideal.

E foi a partir dessa necessidade que chegou até a RTM. Já fornecendo outros serviços de conectividade à instituição – como remessas ao exterior via SWIFT, acesso ao Sistema de Pagamentos Brasileiro (SPB) e links para a extranet do mercado financeiro, a RTM ajudou a montar uma nova arquitetura, suprindo o que já existia e ainda o que estava planejado para os próximos anos. De um data center com nove servidores, o BLB passou a ter dois data centers e 45 servidores, contabilizando pré-produção, produção e disaster recovery.

“Nós queríamos ter algo personalizado e não um simples data center que não oferecesse suporte com atendimento diferenciado. Nós percebemos que a RTM tinha isso de diferencial quando a comparamos com outros players maiores”, disse Ricardo Mattoso Arruda, CIO do Banco Luso Brasileiro.

Um outro fator importante que influenciou a escolha da instituição pela RTM para alocar sua infraestrutura de TI foi a especialidade no setor financeiro.

“A gente sabia que a RTM tinha essa percepção de criticidade do mercado financeiro. Este foi um ponto importante que fez com que a gente se sentisse seguro quando decidimos migrar o nosso data center. A RTM entendia a necessidade que nós tínhamos de manter tudo funcionando e, em caso de algum incidente, ter uma resposta rápida.

Guilherme Moura - Banco Luso Brasileiro

Guilherme Ramos Moura

Responsável pela Infraestrutura no Banco Luso Brasileiro

Atendimento técnico especializado foi fator determinante

A RTM já era conhecida do Banco Luso Brasileiro e, por isso, a instituição tinha experiência com o atendimento técnico da empresa. “Uma das coisas que reforçamos muito é que sempre fomos muito bem atendidos”, comentou Ricardo.

“Quando recebemos a proposta da RTM, reconhecemos uma vontade e um compromisso muito grande em oferecer um serviço de diferenciado para nós”.

Pandemia e migração para home office

Ao longo do processo de implementação do novo data center veio a pandemia da Covid-19, que representou mais um desafio para a instituição. “Precisávamos montar uma infraestrutura para home office a curto prazo e a RTM nos ajudou bastante a ter flexibilidade para nos adaptarmos ao novo cenário”, complementou Ricardo.

Imagem do Data Center da RTM
Imagem do Data Center da RTM

Para o responsável pela Infraestrutura, Guilherme Moura, um conforto neste período foi saber que as demandas solicitadas às equipes da RTM seriam entregues no prazo exigido. “Eu fazia o alinhamento com eles e já recebia uma data para entrega. E sempre traziam o que eu pedia. Se eu precisasse fazer um ajuste ou outro, era rápido. Mas em quase dois anos utilizando o data center da RTM, nunca precisamos fazer grandes ajustes. Tudo o que construímos lá no começo ainda nos atende com folga”.

O conhecimento técnico dos times RTM também foi um ponto fortíssimo para encarar os dois desafios: a migração de infraestrutura e adaptação ao trabalho remoto. “As equipes de segurança, infraestrutura e até do primeiro nível de atendimento sempre foram muito solícitas e com um conhecimento técnico muito grande. Isso ajudou principalmente quando eu precisei estruturar uma infra para o home office, onde pude deixar a RTM tocando muita coisa. Eu só alinhava e a RTM entregava. Hoje, sempre que preciso resolver alguma questão, eu busco a opinião deles”, disse Guilherme.

“É muito importante lembrar que há pessoas por trás da tecnologia. O que faz diferença não é só a máquina, a estrutura ou o software, mas as pessoas qualificadas, bem treinadas que irão tirar o melhor daquela tecnologia. Nesse sentido, estamos bem atendidos com a RTM.”

Ricardo Mattoso Arruda, CIO do Banco Luso Brasileiro
Ricardo Mattoso Arruda

CIO no Banco Luso Brasileiro

Centralizar é a melhor solução

A escolha por um fornecedor que já conseguisse suprir praticamente todas as necessidades em infraestrutura foi uma grande vantagem, segundo Guilherme e Ricardo. Por ser um banco, o foco não é a tecnologia. E para acompanhar a evolução do setor nos últimos anos, é preciso um nível de conhecimento mais especializado em diferentes áreas, como disponibilidade, desempenho de rede, segurança do ambiente e das aplicações, banco de dados, entre outras.

Foco no mercado: cuide do seu core business e conte com a RTM para as soluções de tecnologia
Foco no mercado: cuide do seu core business e conte com a RTM para as soluções de tecnologia

“A RTM nos ajuda muito nesse sentido. Eu não preciso me preocupar com hardware, garantias, licenciamentos, disponibilidade do ambiente, nada disso”, declarou o responsável pela Infraestrutura Guilherme Moura. “Para um banco do nosso porte seria muito difícil estruturar todos esses especialistas internamente porque não precisamos tê-los durante oito horas, todos os dias, ao longo do mês”, explicou o CIO, Ricardo Arruda. “Com a RTM, a gente consegue ter acesso a toda uma gama de conhecimento a qualquer momento”.

Além disso, ter um fornecedor ao invés de vários facilita o entendimento das demandas e a resolução de possíveis problemas. “A sinergia fica muito fácil. Se a gente distribuísse esses serviços em vários fornecedores, a comunicação seria mais complicada. Quando todos que vão resolver um problema ou implantar uma solução estão no mesmo time, a facilidade é muito maior”, ressaltou Ricardo.

O Banco Luso Brasileiro iniciou sua história em 1988. Em dezembro de 2011, o banco se reposicionou no mercado e passou a focar no financiamento de transporte público e ampliou sua atuação com novos produtos para o mercado financeiro, tais como: crédito para empresas, investimentos, câmbio e seguros.

Newsletter

Cadastre-se e receba todos os nossos conteúdos por e-mail, em primeira-mão.


    Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

    Veja outras notícias relacionadas

    Duas mãos seguram dois blocos de madeira que se encaixam no ar representando o peer-to-peer.
    Peer-to-peer: conceito e aplicações no mercado financeiro
    Foto de Aloísio Mota, um homem branco vestido com terno preto e camisa social branca.
    Head de Negócios fala sobre criação do Grupo Consultivo para fundos
    Homem branco digita em um notebook enquanto trabalha em um ambiente com servidores. Ao lado da foto está escrito: Colocation no Data Center do mercado financeiro
    Colocation: vantagens de alocar seus servidores em espaços físicos