Logo RTM

Compartilhe

Pay4Fun: RTM tem infraestrutura robusta e conhecimento de mercado
PorRTM
Imagem em vermelho escuro com a foto de um homem branco, de terno, sorrindo. Ao lado, tem um balão de fala com a afirmação "“Queremos os melhores em serviços de tecnologia para pagamentos, por isso escolhemos a RTM”. Henrique Costa, CTO, e o logo da Pay4Fun.

“Queremos os melhores em serviços de tecnologia para pagamentos”. Este foi o ponto principal para a escolha da RTM, afirmou Henrique Costa, CTO da Pay4Fun, plataforma de pagamentos online que atende diversas empresas de gaming e entretenimento.

Segundo o diretor de tecnologia, a Pay4Fun vem passando por uma jornada de crescimento, atingindo marcos importantes nos últimos anos. Dentre eles, um dos principais foi a autorização do Banco Central para atuar como uma instituição de pagamento.

Com isso, mais um grande desafio surgiu: como atender todas as regulamentações deste setor e obter a tecnologia necessária?

Confira no estudo de caso a seguir como a RTM proporcionou para a Pay4Fun a infraestrutura, o conhecimento de mercado e o suporte essenciais para este momento da instituição.

Hub resiliente para conexão ao mercado

Tendo em vista seu crescimento, a Pay4Fun tinha que ampliar a infraestrutura para atender o atual volume de transações. O caminho ideal era obter uma conectividade direta com o SPB (Sistema de Pagamentos Brasileiro) do Banco Central. Para isso, a instituição precisava de um fornecedor confiável, capaz de entregar resiliência e qualidade, suportando com segurança a quantidade de pagamentos.

Por meio da RTM, a empresa se conectou diretamente à RSFN (Rede Financeira do Sistema Nacional), contando ainda com a orientação da empresa e seu conhecimento de mercado durante o processo.

“Para a gente é importante estar em um player que consegue se manter atualizado e resiliente para atender o volume que temos expectativa de transacionar”, disse Costa. “Eu poderia alocar minha infra em outro parceiro, mas o peso da experiência da RTM foi decisivo na escolha”.

Infra robusta para real time

Ter uma infra robusta foi extremamente importante para a Pay4Fun na decisão de seguir com a RTM. Lidando com clientes que atuam em um setor onde cada segundo faz uma enorme diferença, é preciso que o serviço suporte mais do que apenas uma operação 24×7, mas seja rápido o suficiente para ser real time.

“Prestamos serviço para um público muito sensível e imediatista. Por isso, ficar fora do ar é algo inadmissível”, reforçou Costa. “Lidamos com a emoção e com o dinheiro das pessoas e precisamos de parceiros que compreendam essa sensibilidade e sejam capazes de oferecer um serviço robusto o suficiente”.

Expertise e proatividade no suporte

Segundo Costa, desde o bate papo inicial com o time Comercial até as interações com a equipe técnica, foi possível perceber a proatividade e o nível de conhecimento das pessoas para conduzir na implantação de todos os serviços necessários.

“Estávamos paralisados em algumas atividades e o atendimento da RTM foi fundamental no auxílio com algumas dúvidas, para fazer os projetos andarem. Existe um caderno gigante de exigências da RSFN que o próprio Banco Central disponibiliza e eles conseguiram tirar muitas pedras do caminho para nós”, afirmou Costa.

Deixe seu comentário

Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

Newsletter

Cadastre-se e receba todos os nossos conteúdos por e-mail, em primeira-mão.


    Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

    Veja outras notícias relacionadas

    Duas mãos seguram dois blocos de madeira que se encaixam no ar representando o peer-to-peer.
    Peer-to-peer: conceito e aplicações no mercado financeiro
    Foto de Aloísio Mota, um homem branco vestido com terno preto e camisa social branca.
    Head de Negócios fala sobre criação do Grupo Consultivo para fundos
    Homem branco digita em um notebook enquanto trabalha em um ambiente com servidores. Ao lado da foto está escrito: Colocation no Data Center do mercado financeiro
    Colocation: vantagens de alocar seus servidores em espaços físicos