Logo RTM

Compartilhe

Banco 3.0: entenda o conceito e como o mercado financeiro deve se adaptar
PorRTM
Operador do mercado financeiro fala no celular então trabalha em um computador. A imagem é a capa do texto que explica o que é Banco 3.0.

A constante evolução tecnológica e suas infinitas possibilidades têm ditado as regras para diversos setores como bancos, agências e fintechs, uma vez que os benefícios da transformação digital vêm alterando positivamente os cenários e contextos em que somos inseridos dia após dia.

Mas afinal, como o mercado tem pertencido a este espaço de evolução e visão de futuro?

Dentre o conglomerado de setores que caminha em direção à adaptação tecnológica está o mercado financeiro, sempre em busca de soluções inovadoras e até mesmo impensáveis. Este é o caso do Banco 3.0, uma fuga dos modelos tradicionais, capaz de melhorar significativamente a experiência de seus clientes.

Continue a leitura e descubra os inúmeros benefícios, chances de aplicabilidade e formas de adaptação para esta realidade interligada aos conceitos do Open Finance.

O que é Banco 3.0?

O Banco 3.0 pode ser considerado uma evolução dos bancos digitais, pois tem como objetivo simplificar a vida de seus clientes, oferecer serviços com taxas reduzidas – ou até mesmo sem taxa alguma – garantindo segurança de dados, além de permitir diversos modelos de negócios não tradicionais.

Isso acontece devido ao principal conceito que envolve o Banco 3.0: a possibilidade de oferecer soluções personalizadas para cada cliente, já que a ideia é permitir a atuação financeira voltada para nichos específicos.

Mas como podemos pensar nessa diferente forma de aplicação? 

Já existem bancos pensados em mercados específicos, como a indústria da música, para profissionais de vendas, entre outros destinados para segmentos específicos.

Dessa forma, o banco consegue oferecer uma gestão financeira totalmente personalizada, de acordo com o que os usuários pretendem utilizar. Assim, com o intuito de simplificar qualquer demanda exclusiva da área, as possibilidades são infinitas.

Qual a diferença entre banco digital e banco tradicional?

É importante termos em mente quais as diferenças existentes entre as propostas oferecidas pelos bancos e seus diferentes formatos.

Neste caso, os bancos tradicionais, bancos 1.0, são aqueles que possuem agências físicas e total controle sobre os dados de cada cliente.

Por outro lado, bancos digitais, 2.0 e 3.0, vieram com o intuito de mudar essa realidade, oferecendo soluções online e descartando não apenas as agências físicas, mas também taxas e burocracias que faziam parte do sistema tradicional.

O surgimento do Open Banking também está diretamente relacionado às diversas possibilidades envolvendo os bancos digitais, já que permite ao cliente o controle de todos os seus dados, proporcionando maior flexibilidade e praticidade aos usuários que desejam integrar suas informações a outros segmentos financeiros. 

Baixe nosso E-book Cibersegurança para instituições financeiras: conheça as soluções da RTM e saiba como proteger sua instituição financeira com tecnologia!

Como funcionará a transição para o Banco 3.0

A tecnologia tem promovido diversos avanços para o mercado financeiro. As transformações provenientes da evolução tecnológica crescem exponencialmente e é comum que essas novidades passem a fazer parte, naturalmente, do nosso cotidiano.

De acordo com a Pesquisa FEBRABAN de Tecnologia Bancária de 2022, os usuários do setor financeiro já se acostumaram com o ritmo acelerado das soluções e inovações que abrangem o mercado.

Dessa forma, é seguro acreditar que a transição para o Banco 3.0 ocorra sem muitas turbulências, afinal suas soluções e inovações já são uma realidade no Brasil.

Acompanhe!

O banco digital 3.0 já é uma realidade no Brasil

Assim como o caso da Art Bank, Banco 3.0 criado para o nicho musical, o Bossa Bank também acompanha essa nova era focada em segmentos específicos e serviços personalizados.

Liderado por João Kepler, mega-investidor, o Bossa Bank é totalmente voltado para o ecossistema de startups, aderindo à evolução dos banco digitais ao integrar um sistema financeiro a um nicho de mercado selecionado.

Dessa forma, é inegável o espaço que a inovação tem conquistado através de diversos meios e infinitas possibilidades que prometem fazer parte do nosso mundo cada vez mais.

Evolução e inovação é com a RTM

Vimos como o mercado pode se transformar e oferecer praticidade e simplicidade em diversos processos através de soluções inovadoras baseadas em tecnologias emergentes.

E é por isso que o Hub Pagamentos da RTM é ideal para quem prioriza uma infraestrutura tecnológica própria, capaz de oferecer conectividade segura e criptografia dos arquivos.

Desenvolvido para atuar em ambientes críticos, nosso Hub Pagamentos também conta com:

  • Canal de comunicação seguro;
  • Dashboard intuitivo;
  • Estrutura contingenciada;
  • Onboarding otimizado,
  • Estrutura de Firewalls e Regras de Segurança.

Pensar em inovação e evolução tecnológica, é pensar na RTM. Entre em contato conosco e saiba mais!

Deixe seu comentário

Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

Newsletter

Cadastre-se e receba todos os nossos conteúdos por e-mail, em primeira-mão.


    Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

    Veja outras notícias relacionadas

    Quatro executivos, três mulheres e um homem, fazem uma roda em pé enquanto seguram um café, uma prancheta, pastas e um tablet. Ao lado está escrito 'Innovation Cross Industry'.
    Innovation Cross Industry: o que é e como impacta o mercado financeiro?
    Imagem ilustrativa para notícia sobre lançamento do Blockchain as a Service.
    RTM anuncia solução Blockchain as a Service
    Uma mão segura uma placa quadrada e transparente. Em cima aparece uma imagem de nuvem.
    IA na nuvem: RTM incorpora recurso no Cloud Services