Logo RTM

Compartilhe

Como e por que o 5G vai revolucionar a internet
PorRTM

revolucao-do-5g

A disputa pelo leilão para ocupar a nova frequência celular a ser aberta, o 5G, já tem sido chamada de guerra fria no século XXI. No centro da competição, estão Estados Unidos e China — o primeiro representado por diversas empresas, como Nokia e Samsung, e a segunda pela Huawei. O Brasil é um dos mercados disputados pelos dois grupos.

O 5G é uma nova geração de internet móvel que promete trazer mudanças significativas para a sociedade. A rede, 100 vezes mais rápida que a antecessora 5G, aumenta as possibilidades da internet e representa um grande avanço em termos de transformação digital.

Neste artigo, entenda a disputa em torno do 5G, as possibilidades trazidas pela rede e os desafios para a sua introdução.

A disputa em torno do 5G no Brasil e no mundo

As gerações anteriores das redes móveis transformaram o mundo. O 3G, que se expandiu no Brasil em 2007, permitiu usar celulares com velocidade parecida com a da banda larga utilizada nos computadores. Já o 4G veio em 2012 e melhorou a velocidade de seu antecessor em até 100 vezes, consolidando o celular como muito mais do que um dispositivo para fazer ligações.

Agora, com o 5G, a possibilidade é ir além do smartphone, mantendo outros objetos conectados, como TV, carro, máquina de lavar.

“Diferentemente das outras gerações, que focavam na capacidade, o 5G é uma plataforma, onde o acesso móvel não é a única coisa que o ecossistema proporciona”, explica o diretor de inovação tecnológica da Claro, Luiz Fernando de Castro Bourdot, ao ConectaCast, podcast sobre tecnologia, conectividade e inovação da RTM.

No Brasil, serão leiloados cinco blocos de frequência para que empresas de telecomunicações possam operar o 5G. Os Estados Unidos vetaram a participação da empresa chinesa no mercado local. Para isso, o país alegou que a Huawei não garante a segurança dos equipamentos.

Outros países alinhados aos Estados Unidos, como o Brasil, podem acabar fazendo o mesmo. Mas também não há garantia de que as empresas apoiadas pelos norte-americanos sejam 100% seguras.


Baixe o e-book sobre as Tendências do setor financeiro

As principais transformações trazidas pelo 5G

Redução da latência

A latência é a velocidade com que uma informação é acessada no servidor e volta para o usuário. No 3G, o tempo de resposta era de 100 milissegundos. Já no 4G, é de 30 milissegundos. O 5G, por sua vez, deve reduzi-la consideravelmente, para 1 milisegundo. Isso quer dizer que a resposta será praticamente instantânea em dispositivos que usarem 5G.

Viabilização da Internet das Coisas

O uso de objetos conectados à internet, ao que se chama Internet das Coisas, já é uma realidade. Mas irá ainda mais além com o 5G.

Atualmente, os dispositivos conectados ainda dependem de computação integrada e dados armazenados. Isso porque as redes disponíveis atualmente não têm processamento rápido suficiente para que os aplicativos funcionem da maneira ideal. Com o 5G, no entanto, carros sem motorista e outros objetos conectados devem fazer parte do cotidiano.

Telemedicina

Outra possibilidade do 5G é o incremento da telemedicina. Uma das possibilidades da transformação digital na saúde é a realização de telecirurgias, cirurgias à distância feitas com o auxílio de robôs. Com uma internet de altíssima velocidade, isso se torna possível em mais países.

Desafios para a introdução do 5G

Além dessa disputa entre Estados Unidos e China, há ainda outros desafios para a implementação do 5G no Brasil e no mundo.

Os problemas que já existem hoje no 4G vão ser potencializados na introdução do 5G, pois há a necessidade de ter mais antenas e uma malha maior de fibra ótica, conectando-as. Por outro lado, tudo que se faz hoje pelo 4G vai facilitar a adoção do 5G.

No Brasil, a previsão é de que, por conta da pandemia do novo coronavírus, o leilão ocorra só em 2021.

Este texto foi escrito e produzido pelo time da Distrito, que conta com a parceria da RTM. 

Leia também: 

Newsletter

Cadastre-se e receba todos os nossos conteúdos por e-mail, em primeira-mão.


    Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

    Veja outras notícias relacionadas

    Duas mãos seguram dois blocos de madeira que se encaixam no ar representando o peer-to-peer.
    Peer-to-peer: conceito e aplicações no mercado financeiro
    Foto de Aloísio Mota, um homem branco vestido com terno preto e camisa social branca.
    Head de Negócios fala sobre criação do Grupo Consultivo para fundos
    Homem branco digita em um notebook enquanto trabalha em um ambiente com servidores. Ao lado da foto está escrito: Colocation no Data Center do mercado financeiro
    Colocation: vantagens de alocar seus servidores em espaços físicos